Workshops de Grafologia

Vide programação: > Agenda > Eventos > Atuais

São encontros periódicos, realizados no Rio de Janeiro, apresentando diversos temas muitos dos quais sugeridos pelos alunos que permitiam perguntas pontuais e principalmente troca de experiências, cujo intuito primordial era o de aprofundar os conhecimentos grafológicos adquiridos durante os cursos. Agora, residindo em Pomerode-SC, havendo interesse por parte dos alunos, os Workshops poderão ser reiniciados.

Em 2016:

No CER – CENTRO EMPRESARIAL RIO

  • GRAFOLOGIA – A ESCRITA SEM SEGREDOS: integrando a Psicanálise e a Neurociência, como importante ferramenta de suporte para o RH.
    • Demonstrar aos participantes, a partir da apresentação de várias escritas, como identificar na expressão gráfica a organização e o funcionamento da personalidade, mediante a integração das visões psicanalítica e neurocientífica.
    • Será evidenciado o modelo de funcionamento da mente humana concebido por Freud: ID, EGO e SUPEREGO e suas funções psíquicas, bem como a hipótese dos mapas neurais do neurocientista Damásio, que seriam transformados em consciência de experiências afetivo-emocionais.
    • A análise grafológica permite identificar toda essa complexidade de elementos interagindo na psique humana e, consequentemente, detectar as devidas competências requeridas para os cargos pretendidos.
  • Desenvolvimento pessoal e profissional pela GRAFOTERAPIA a partir da análise grafológica de sua escrita
    • Devido à competitividade cada vez mais acirrada nos dias atuais, programas de treinamento e desenvolvimento pessoal encontram-se em evidência. O objetivo desse Workshop é demonstrar, através da apresentação de várias escritas, as mudanças e/ou melhoras alcançadas pela metodologia grafoterapêutica, como ferramenta de suporte não somente para o RH, mas também para você desenvolver aptidões tais como liderança, perseverança, tomada de decisão, relações interpessoais, e também amenizar ou suprimir traços que incomodam, tais como ressentimento, insegurança, desmotivação, etc.
    • Para Robert Olivaux, psicólogo, grafólogo e grafoterapeuta francês, em sua obra “Pédagogie de l´écriture et graphothérapie” (“Pedagogia da escrita e grafoterapia”), as funções da escrita são diversas, sendo as mais importantes:
      • 1. a função instrumental da escrita: fixar – A função mais evidente da escrita é a de fixar o pensamento ou a palavra com o objetivo de transmitir;
      • 2. a função relacional da escrita: comunicar – A escrita é um meio de comunicação, de expressão, de transmissão importante para cada indivíduo;
      • 3. a função de representação pessoal: exprimir – Trata-se de um diálogo: o autor está efetivamente ali, presente, isto é, na e pela sua escrita.
  • “Você usa mais o lado esquerdo ou direito do cérebro? A influência do pensamento sobreWORKSHOP-03 o comportamento através da Análise Grafológica e Dominância Cerebral de Ned Herrmann (HBDI)”
    • O objetivo é apresentar um estudo comparativo entre a Análise Grafológica e o Instrumento Herrmann de Dominância Cerebral (HBDI) para demonstrar a importância da influência de nossas preferências cerebrais sobre o nosso comportamento, como reagimos, nos expressamos e nos relacionamos, possibilitando conhecer, não somente o nosso próprio estilo de pensamento, mas também o das outras pessoas, promovendo um melhor entendimento quanto à tomada de decisões, estilo de aprendizagem, planejamento, comunicação e dinâmica entre as pessoas na vida profissional e pessoal.
    • Palestrante convidada: Andréa de Souza, especialista em Inventário de Personalidade, Psicóloga Clínica e Organizacional, pós-graduada em Reengenharia de Recursos Humanos e chancelada pelo Instituto Herrmann Latin America para utilização do HBDI.
    • HBDI – Herrmann Brain Dominance Instrument – Modelos mentais. Quatro tipos de pensamento: analítico, organizador, emocional e visionário, como instrumento de gestão do capital humano das organizações.
    • A teoria de Ned Herrmann classifica os estilos de pensamento em relação ao lado do cérebro dominante. Pessoas dominadas pelo cérebro esquerdo são descritas como analíticas, lógicas e sequenciais. As dominadas pelo lado direito são mais intuitivas, baseadas em valores e não-lineares. O estilo predominante influencia a forma de pensamento e o comportamento das pessoas no seu dia-a-dia.

> Topo <

Em 2015:

No CER – CENTRO EMPRESARIAL RIO

  • VOCÊ e sua ESCRITA – um suporte fundamental para o RH, sob a ótica da NeurociênciaWS-06-Damásio
    • Você é dinâmico? Tem explosões de irritabilidade? Tem iniciativa? Gosta de tarefas rotineiras ou prefere inovar? Trabalha bem sob pressão? É tolerante? Tem facilidade de relacionar-se? Como reage à crítica? Estas características, entre muitas outras, são os traços de seu perfil comportamental que se manifestam na sua escrita.
    • Objetivo deste Workshop é demonstrar através da apresentação de diversas escritas como interpretar esses traços pessoais que se “materializam” no traçado propriamente dito de sua escrita. Ou seja, WS-09-112015é um conjunto de vestígios psíquicos, cognitivos e gestuais que são observados e analisados pela técnica grafológica, alicerçada no referencial teórico da Neurociência, mais especificamente na teoria do marcador somático do neurologista português António Damásio.
    • A tendência em classificar pessoas é tão antiga quanto a humanidade. Na Psicologia temos inúmeros conceitos para descrever a personalidade. Hipócrates na Grécia Antiga classificava a personalidade WS-11-112015em quatro tipos, de acordo com a teoria dos quatro humores corporais, os humores caracterizariam o temperamento da pessoa. Essa interdependência do biológico com o psicossocial perdura até os dias atuais junto aos pesquisadores e cientistas para justificar a constituição das características da personalidade.
    • No livro “O Erro de Descartes”, Damásio postula que as emoções são indispensáveis para a nossa vida racional. São as emoções que nos fazem únicos, é o nosso comportamento emocional que nos diferencia uns dos outros. AWS-17-112015natureza e a extensão do nosso repertório de respostas emocionais não depende exclusivamente do nosso cérebro, mas da sua interação com o corpo, e das nossas próprias percepções do corpo. As emoções são indispensáveis na gênese e na expressão do comportamento. Há uma íntima relação entre as estruturas cerebrais envolvidas na gênese e na expressão das emoções (o sistema límbico) e áreas do córtex cerebral ligadas à tomada de decisões (córtex pré-frontal).
  • Esse é O CANDIDATO: Análise Grafológica X Inventário de Personalidade.WS-170815-01 Por que esse e não aquele?
    • Segundo pesquisas, um dos indicativos mais explícitos de contratações equivocadas é a alta rotatividade de colaboradores. Selecionar um candidato que se enquadre da melhor forma no perfil do cargo disponível é um passo importante rumo à queda dos índices de rotatividade. Para o processo seletivo pode-se utilizar uma grande quantidade de instrumentos de análise que proporcionam uma maior precisão nos resultados.WS-170815-02
    • Objetivo desse Workshop era propor um debate quanto à utilização de dois instrumentos no processo seletivo: Análise Grafológica versus Inventário de Personalidade e a respectiva fidedignidade na identificação dos traços de personalidade e características comportamentais observados na escrita versus respostas do inventário.
    • Convidada especial: Andréa de Souza, especialista em Inventário de Personalidade, Psicóloga Clínica e Organizacional, pós-graduada em Reengenharia de Recursos Humanos.
  • GRAFOLOGIA: Identificando TEMPERAMENTOS na ESCRITA – ProcedimentoWS-110515-01 importante para o RH: melhor aproveitamento de potenciais e competências, melhora de relacionamentos, de índices de turnover, de motivação e sobretudo de resultados.
    • Para a identificação do perfil comportamental mais adequado para cargos e funções na empresa, a aplicação da análise da escrita é uma ferramenta complementar para o RH detectarWS-110515-02 o temperamento dos candidatos, colaboradores e gestores. Ou seja, busca-se cada vez mais respostas de como trabalhar com suas equipes, aproveitar seus potenciais, melhorar os relacionamentos, os níveis de turnover, a motivação e os resultados.
    • A fundamentação se pauta na Teoria de Campo de Kurt Lewin, psicólogo e pesquisador na área de Ciências Sociais, que possibilita identificar as forças que operam nas situações no mundoWS-110515-03 corporativo como “competências impulsionadoras” ou “competências restritivas”. As competências fortes servirão de impulsionadoras para o alcance dos objetivos, e as menos desenvolvidas poderão agir como restritivas. Portanto, conforme levantamento dos traços na escrita e respectivos tipos de temperamento, poderá ser avaliado o equilíbrio destas duas competências.
  • GRAFOLOGIA – Tipos psicológicos na escrita: harmonizando o clima corporativo – gestores,WS-160315-03 colaboradores, candidatos, etc.
    • É de suma importância abordar a questão dos tipos psicológicos, pois estes, além de nortear as relações interpessoais no ambiente corporativo, também interferem diretamente nos resultados e na produtividade da empresa. O objetivo deste Workshop é demonstrar que, através dos tipos psicológicos observados na escrita, é possível detectar os pontos fortes e fracos, virtudes e defeitos e, consequentemente, desenvolver características do perfilWS-160315-01 psicológico dos indivíduos, ou seja, o foco primordial é a valorização do ser humano.
    • Na visão de Jung, o Tipo Psicológico de um indivíduo é determinado pela introversão ou extroversão, e por quatro funções que o EGO habitualmente emprega, as funções psíquicas.
    • Para explicar as diferenças dos Tipos Psicológicos, Jung lançou mão do conceito de Função Psíquica ou Função Psicológica. Esta é uma atividade da psique que apresenta uma consistênciaWS-160315-02 interna, sendo uma atribuição congênita, que estabelece habilidades, aptidões e tendências no relacionamento do indivíduo com o mundo e consigo mesmo. O modo preferencial de uma pessoa reagir ao mundo deve-se, dentre outras razões, à herança genética, às influências familiares e às experiências que o indivíduo teve ao longo de sua vida.

> Topo <

Em 2014:

No CER – CENTRO EMPRESARIAL RIO

  • GRAFOLOGIA – Modelo dos Cinco Grandes Fatores da PersonalidadeWS-170314-02 (Big Five) aplicado à Escrita. Avaliação rápida e fidedigna para o profissional de RH identificar na escrita os fatores pessoais que determinam as atitudes laborais do candidato.
    • O Modelo CGF (Cinco Grandes Fatores) tem suas origens na análise de linguagem utilizada para descrever pessoas. O uso de descritores de traços (geralmente adjetivos) da linguagem natural tem sido defendido como a melhor estratégia para identificar fatores que permitem entender melhor as carcterísticas da personalidade.
    • Este Modelo consiste em uma concepção de personalidade explicada através de cinco fatores: Extroversão, Socialização, Conscienciosidade, Neuroticismo e Abertura.
    • Por quê os 5GF? Pela facilidade de aplicação, pela alta fidedignidade dos resultados e por ser um teste mais utilizado para pesquisas científicas sobre a personalidade.
  • GRAFOLOGIA HOJE – Escrita digital, constituição da subjetividadeWS-210714-01 e sua manifestação na escrita manual. “Pq eh import p/prof. de rh, saúde e educ.? :-)”
    • Objetivo deste WS é refletir, analisar a questão da constituição do sujeito através das práticas discursivas por meio das redes sociais, as quais se configuram como uma mídia centrada na subjetividade e na exposição do indivíduo, pois é por meio dessas práticas discursivas que o sujeito se constitui, ou seja, é pelo discurso e no discurso que a subjetividade se constrói.WS-210714-02
    • Do ponto de vista da Psicologia e consequentemente da Grafologia, neste início do século XXI, sem percebermos, todos nós estamos passando por transformações internas em função de nossa exposição a essas novas tecnologias da informação, pois colocam em operação novas necessidades, novas demandas, resultando na emergência de novas formas de agir e de viver, levando a processos de transformação das formas de ser, da construção da subjetividade.
    • Estas novas formas de ser se tornam manifestas na escrita manual, o que possibilita uma leitura diferenciada da personalidade mediante a análise grafológica, detectando portanto os traços caraterísticos das subjetividades daí emergentes.

> Topo <

Em 2013:

No CER – CENTRO EMPRESARIAL RIO

  • GRAFOLOGIA: Características mais marcantes da personalidade através da análise das dominantes da escrita – Um processo rápido e eficaz para Recrutamento e Seleção
    • Os aspectos gráficos que mais se destacam na escrita são denominados DOMINANTES, que podem ser tanto a dimensão, a inclinação, a pressão, a velocidade, etc., como também a distribuição espacial, espaços entre palavras, linhas, disposição das margens, entre outros.
    • Partindo-se do pressuposto de que a escrita é a expressão de todo o conteúdo consciente e inconsciente do indivíduo, as dominantes serão a manifestação dos traços mais marcantes que permeiam a personalidade como um todo.
    • A análise destes traços permite ao profissional de RH uma primeira visualização rápida e eficaz do perfil do candidato.
  • GRAFOLOGIA – Identificação dos tipos de INTELIGÊNCIA (segundo Howard Gardner) na escrita e sua importância para os profissionais de RH, da saúde, da educação e áreas afins.
    • A abordagem da Teoria das Inteligências Múltiplas de H. Gardner justifica-se pela demanda do mercado por um colaborador mais adaptado às suas exigências, pois o trabalho se tornou mais flexibilizado no mundo contemporâneo e por isso é necessário que se possa detectar as habilidades mais adequadas para um cargo.
    • Além do conhecimento técnico, hoje, no mercado de trabalho, o diferencial na escolha do candidato é reconhecer, entre seus múltiplos talentos, a sua potencialidade mais desenvolvida.
    • A análise grafológica permite identificar, com significativo grau de acerto, se, por exemplo, o candidato tem mais facilidade para pensar de maneira lógica ou se tem mais habilidade de se expressar e manter uma comunicação ativa.
  • GRAFOLOGIA – Líderes que mobilizam massas e suas características na escrita. Destaque: PAPA FRANCISCO
    • O tema escolhido não poderia ser mais atual. Há muito não se vê uma mobilização de massas tão significativa. Quais as principais características desses líderes? Como identificar os traços psicológicos tanto dos vândalos como dos pacíficos?
    • A técnica grafológica permite identificar essas diferenças pela análise da escrita, já que o traçado gráfico é a manifestação concreta e fidedigna dos traços da personalidade e do caráter do indivíduo.
  • Grafologia: O meu verdadeiro EU e a escrita – Sinopse da minha palestra no Congresso de Grafologia, Alemanha, 11/10/2013
    • Por que é importante detectar, através da análise da escrita, quem você realmente é? Em primeira instância, para o profissional de RH, por exemplo, é fundamental saber quem é o candidato, não apenas através do CV, ou como atua na dinâmica, ou durante a entrevista, mas principalmente reconhecer se a sua conduta é natural ou dissimulada.
    • Por outro, o autoconhecimento é primordial para o fortalecimento da autoestima, para a percepção de pontos fracos e fortes, habilidades, competências e talentos, ou seja, permite a superação pessoal e profissional e um redirecionamento da vida.
    • E, por fim, porque é a questão crucial do meu projeto-piloto de reintegração de ex-detentos no mercado de trabalho, parte integrante da Agência da Cidadania do Banco da Providência, que apresentei no Congresso de Grafologia na Alemanha como palestrante convidada. Ou seja, qual é o verdadeiro EU destes ex-detentos?

> Topo <

Em 2012:

No CER – CENTRO EMPRESARIAL RIO

  • ESCRITA e SUBJETIVIDADE na era da Internet.
    • Subjetividade como fundamento da identidade, social e individual, que remete à questão da alteridade
    • Meios de comunicação são recursos para redefinir a identidade, estabelecendo novas formas de interação e relacionamentos
    • Escrita e universos virtuais
  • A importância da identificação de COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS no processo seletivo.
    • Definição de competência
    • A tríade CHA: conhecimento teórico, habilidades práticas e atitudes comportamentais (emoções, valores e sentimentos)
    • Identificar na escrita: iniciativa, liderança, capacidade de síntese/análise, negociação, comunicação, decisão, raciocínio lógico, trabalho em equipe, etc.
  • ASSINATURAS e TRAÇOS COMPLEMENTARES.
    • Assinatura e sua divisão em zonas gráficas Superior, Média e Inferior
    • Comportamento cognitivo, comportamento relacional e comportamento executivo do sujeito
    • Análise grafológica dos traços complementares e sua correspondência psicológica
  • Escrita específica – DOMINANTES e correspondência psicológica.
    • As Dominantes são os traços que mais se destacam, ou seja, são as características da personalidade mais acentuadas que se manifestam na escrita
    • O que significa se uma escrita apresenta dimensão muito grande, muito confusa, muito inclinada, muito espaçada, etc.
  • Escritas TIPOGRÁFICA e SCRIPT – Interpretação dos traços de personalidade pela análise grafológica.
    • O estudo destas escritas é de fundamental importância, principalmente para o profissional de RH, pois estes tipos de escrita são cada vez mais recorrentes na contemporaneidade
    • Os critérios para o levantamento de características grafológicas são os mesmos que os aplicados à escrita cursiva?
  • Introdução de conceitos grafológicos sobre SAÚDE e DOENÇA e sua manifestação na escrita.Convidado: Dr. Eduardo Barbosa, médico homeopata
    • Atuação da Grafologia na Medicina para prevenção e no tratamento
    • Abordagem de questões tais como câncer, depressão, ansiedade, drogadição, entre outros
  • GRAFOLOGIA = Identificação de competências comportamentais – GRAFOTERAPIA = Treinamento e Desenvolvimento das mesmas: uma técnica de baixo investimento e alta eficácia para o profissional de RH.
    • A análise grafológica permite identificar as necessidades de treinamento e desenvolvimento das pessoas
    • Desenvolvimento profissional através do treinamento visa suprir as necessidades do indivíduo em termos de conhecimento, sobretudo, de autoconhecimento, habilidades e atitudes que conduzem ao melhor desempenho das tarefas, possibilitando o alcance dos objetivos da organização
  • GRAFOLOGIA – GERAÇÃO Y: os futuros líderes no mundo corporativo e suas competências comportamentais na escrita.Convidada: Dra. Evelyn Eisenstein, médica clínica hebiatra
    • Em virtude da entrada da Geração Y no mercado de trabalho – também chamada de Geração da Internet -, e, ainda sem muita experiência profissional, o foco no processo seletivo se baseia sobretudo nas competências comportamentais desses jovens
    • A técnica grafológica é uma ferramenta que facilita o selecionador a identificar se este futuro colaborador tem ou não boas chances de se adaptar à cultura da organização e quais características devem ser desenvolvidas para se tornar um líder. Permite, também, detectar quais conflitos, angústias e inseguranças poderão prejudicar o seu desempenho profissional, suas relações pessoais, entre outros
  • GRAFOLOGIA – Seleção de pessoal e avaliação de potencial mediante a identificação da TIPOLOGIA JUNGUIANA e sua manifestação na escrita.Convidada: Ângela Teixeira – Mestre em Psicologia Social
    • A identificação dos tipos psicológicos de Jung na escrita permite que se conheça preferências individuais de comportamento, através da seleção de três dicotomias, ou seja, preferências mutuamente excludentes, que são: extroversão/introversão; sensação/intuição; pensamento/sentimento
    • O entendimento dessas preferências e sua influência na interação podem propiciar melhoria de relacionamentos, ajudar o aumento de colaboração, produtividade e eficiência no ambiente corporativo, formação e motivação de equipes, gerenciamento de conflitos, entre outros
  • GRAFOLOGIA – Você é EMPREENDEDOR e INOVADOR? Identificação do perfil pela análise grafológica da escrita, considerando-se também as variáveis baseadas em PRINCÍPIOS NEUROFISIOLÓGICOS.
    • Visando atender demandas da área de RH e sugestões recebidas dos participantes dos Workshops, “Empreendedorismo e Inovação” é o tema deste encontro, pois são considerados pelas empresas da contemporaneidade como fatores de diferencial competitivo para suas atividades
    • A expressão inovação e aliado a ela a atividade empreendedora, que antes estava focada na criação de novos negócios, agora se volta para o interior das corporações, como um novo perfil das atividades e funções intrínsecas tanto dos gestores como também dos colaboradores
    • Como detectar essas características no traçado da escrita

> Topo <

Em 2008:

NO EVEREST RIO HOTEL – IPANEMA

  • GRAFOLOGIA EMOCIONAL, Curt A. HONROTH (1898-1950): GRAFOLOGIA EMOCIONAL, Curt A. HONROTH (1898-1950): palavras reflexas, lapsus cálami (tropeço inconsciente ao escrever), lapsus linguae (ato falho de Freud). A escrita, como microgesto, é a representação simbólica de nossa personalidade. palavras reflexas, lapsus cálami (tropeço inconsciente ao escrever), lapsus linguae (ato falho de Freud). A escrita, como microgesto, é a representação simbólica de nossa personalidade.
    • A Palavra Escrita e suas três partes, segundo a GRAFOLOGIA EMOCIONAL
    • Estrutura da palavra, suas partes, sua interpretação simbólica
    • Palavras Reflexas, lapsus cálami, lapsus linguae
    • Como se formam as palavras reflexas?
  • A importância da construção de SÍNDROMES GRÁFICAS: reduzir o elemento subjetivo na análise grafológica e garantir a objetividade na observação das características na escrita.
    • Como se constrói uma síndrome gráfica
    • A Curva Gráfica de Müller-Enskat
    • Registro de Características Grafológicas
  • Continuação da escola italiana (Moretti): Continuação da escola italiana (Moretti): ÂNGULOS A $#8211; B $#8211; C na escrita $#8211; dinamização da energia vital $#8211; ressentimento? teimosia? perspicácia? $#8211; a partir de uma visão psicanalítica e neurofisiológica. ÂNGULOS A – B – C na escrita – dinamização da energia vital – ressentimento? teimosia? perspicácia? – a partir de uma visão psicanalítica e neurofisiológica.
    • Os ângulos “A”, “B” e “C” da escola morettiana
    • A retração e a dilatação do gesto – Ângulos A, B e C
    • Escrita angulosa
    • O herói como figura arquetípica (Jung)
  • As couraças de caráter de Wilhelm REICH e a sua manifestação gráfica.
  • O por quê da grande diferença de proporção na expressão escrita. O por quê da grande diferença de proporção na expressão escrita. Diferença entre escrita prolongada ou desproporcional e a escrita sobressaltada / sobreerguida / sobrelevada e suas respectivas correspondências psicológicas. Diferença entre escrita prolongada ou desproporcional e a escrita sobressaltada / sobreerguida / sobrelevada e suas respectivas correspondências psicológicas.
    • Escrita prolongada ou desproporcional
    • Origem do traço
    • Elevação do espírito (haste), resultados práticos desenvolvidos (perna)
    • Insatisfação constante, agitação, exaltação
    • Perfil do prolongado
    • Escrita sobrelevada / sobressaltada / sobreerguida
    • Perfil do sobrelevado / sobressaltado / sobreerguido
  • De quanto “espaço” precisa o homem? Espaço, escrita e subjetividade: De quanto “espaço“ precisa o homem? Espaço, escrita e subjetividade: uma reflexão sobre a tendência cada vez mais recorrente ” ocupação total da página, isto é, ausência das margens esquerda e direita. Por quê? uma reflexão sobre a tendência cada vez mais recorrente – ocupação total da página, isto é, ausência das margens esquerda e direita. Por quê?
    • O Corpo e o Simbolismo do Espaço Gráfico
    • Os Espaços e a Escrita
    • Subjetividade e o Espaço
    • Espaço e Linguagem Escrita
  • ESCRITA e COMPULSÕES: anorexia, bulimia, síndrome do pânico, drogadição, obesidade… – novas formas de sofrimento psíquico peculiares à contemporaneidade. Serão articulados conceitos da Psicanálise e da Psicossomática (Pierre Marty e Joyce McDougall) com os da Grafologia.
  • PERDAS, TRAUMAS, FRUSTRAÇÕES: como cada um lida com isso, e suas manifestações na expressão gráfica.
  • ESCRITA EM LEQUE – Transtorno esquizofrênico e/ou esquizoafetivo. Como opera a linguagem, a representação da palavra, da coisa neste transtorno. Uma reflexão sobre a hipótese do porquê desta forma característica na expressão gráfica.
    • E como opera a linguagem no esquizofrênico?
  • NEUROSE OBSESSIVA / TRANSTORNO OBSESSIVO-COMPULSIVO (TOC) e COMPULSÕES AUTOMUTILADORAS, em especial, arrancar cabelos (tricotilomania) e sua manifestação na escrita.
  • ESCRITA ESPAÇADA: inteligência crítica, independência, timidez, medo, ESCRITA ESPAÇADA: inteligência crítica, independência, timidez, medo, prudência, egoísmo? prudência, egoísmo?
    • Independência, proteção do EU, reserva, timidez
    • Indiferença/frieza, relações difíceis, solidão voluntária
    • Medo
    • Clareza de espírito, objetividade, senso crítico
    • O perfil do espaçado
  • MOTIVAÇÃO e sua relação com os estágios de desenvolvimento postulados por Freud, a saber, os traços característicos oriundos da fixação nos estágios ORAL, ANAL e FÁLICO, e sua expressão na escrita.
    • Estágios: ORAL, ANAL, FÁLICO – Traços de caráter – ESCRITA
  • DESIGUALDADES NA ESCRITA – Versatilidade ou ambivalência? DESIGUALDADES NA ESCRITA ” Versatilidade ou ambivalência? Como fazer o levantamento destas características? Como fazer o levantamento destas características?
    • Desigualdade de dimensão
    • Desigualdade de alinhamento
    • Desigualdade de distribuição
    • Desigualdade de forma
    • Desigualdade de inclinação
    • Desigualdade de rapidez
  • ESCRITA FECHADA por traços simples, duplos, anéis ou nós – ESCRITA FECHADA por traços simples, duplos, anéis ou nós ” prudência ou mentira/ocultação/falsidade? prudência ou mentira/ocultação/falsidade?
    • Origem do traço
    • Prudência, reflexão, reserva, discrição
    • Isolamento, busca de unidade
    • Desconfiança, hipocrisia, egocentrismo
    • Perfil do traço fechado

Quem tiver interesse nos tópicos abordados nos encontros realizados no Everest Rio Hotel durante o ano de 2008, e quiser adquirir um Compêndio dos Workshops encadernado (108 páginas), com Índice Remissivo, ou parte do material em PDF, favor solicitar orçamento via >e-mail<

> Topo <

De 2001 a 2006:

NO HOTEL OTHON PALACE – COPACABANA

  • ASSINATURA e TRAÇADOS COMPLEMENTARES.
    • Assinatura e sua interpretação grafológica
    • Como analisar os Traçados Complementares e sua correspondência psicológica
    • Taçados com predomínio da zona média, traçados complementares côncavos, convexos, ondulantes, rápidos, lentos, com e sem pressão, tremidos, ascendentes, etc.
  • “O NÍVEL MORAL”
    • Um dos problemas mais difíceis para o profissional de RH é o que diz respeito à conduta moral do candidato
    • Como detectar este traço de personalidade na manifestação gráfica
    • Desonestidade, insinceridade, dissimulação no grafismo, entre outros
  • GRAFOPATOLOGIA.
    • Embora o diagnóstico caiba unicamente ao médico, o grafólogo é capaz de observar vários tipos de transtornos a partir da análise da escrita
    • Distinção entre distúrbios neurológicos e fisiológicos na escrita
    • Escrita desorganizada, incoerências gráficas, maiúsculas desproporcionais e/ou ornadas com complicações, etc. podem, mas não necessariamente, expressar certos tipos de patologias
  • TENSÃO DE POPHAL.
    • O que se entende por tensão na escrita
    • Diferença entre tensão e pressão
    • Tensão nos Aspectos Forma – Espaço – Movimento
    • Liderança na escrita, resistência às pressões, iniciativa, criatividade, espírito de equipe, ambientes positivo e negativo
  • DIFERENÇA entre ESCRITA PROLONGADA (hastes e pernas excessivamente longas) e ESCRITA SOBREERGUIDA ou SOBRESSALTADA.
    • Imagens, evocações e símbolos deste tipo de escrita
    • Qualidades e defeitos e o porquê da origem desses traços
    • Perfil do autor com estes tipos de escrita
  • Escrita ABERTA e Escrita FECHADA (Zona Média, principalmente ovais), em ambiente positivo e negativo.
    • Qualidades e defeitos destes tipos de escrita
    • Sinceridade e dissimulação
    • Perfil Grafológico do autor
    • O porquê deste tipo de grafismo
    • Exemplos com diversos tipos de grafismos
  • ESCRITA em CARACOL (também chamado de “coquille” ou “espiral”).
    • Uma escrita é em caracol quando os traços se enrolam sobre si mesmos, formando espirais, volutas, hélices e todo tipo de movimento retornando sobre si
    • Perfil grafológico
  • ONCOLOGIA e GRAFOLOGIA.
    • Transparências de escritas que possibilitam a visualização da enfermidade no traçado do gesto gráfico
    • Macrografologia e Micrografologia
    • A análise grafológica como técnica preventiva
  • ESCRITA ARREDONDADA e ESCRITA ANELADA (ou em bucles).
    • Uma escrita é arredondada quando há predomínio de traçados curvos
    • Uma escrita é anelada (ou em bucles) quando os traços formam anéis que se entrelaçam
    • Perfil grafológico
  • ESCRITA com MOVIMENTOS REGRESSIVOS.
    • Escrita em que a maioria dos traços é feita em sentido contrário ao padrão caligráfico
    • Diferença entre movimentos regressivos e progressivos
    • Perfil grafológico
  • ALINHAMENTO: ASCENDENTE e MUITO ASCENDENTE e suas respectivas correspondências psicológicas.
    • Definição da direção das linhas ou alinhamento
    • Estados de ânimo, entusiasmo, tendência à exaltação, euforia ou supercompensação de estados depressivos?
  • ESCRITA MUITO INCLINADA.
    • A escrita é considerada muito inclinada quando forma um ângulo de mais de 45° com a vertical
    • Paixão e/ou ódio?
    • Um estudo baseado no livro de Dr. Jean-Charles Gille-Maisani “Psicologia da Escrita”

> Topo <

Em abril e maio 2004:

NA ABRH-RIO

  • ANORMALIDADES de CARÁTER na escrita.
    • Segundo o enfoque de C.G. JUNG em seu livro “Psicogênese das Doenças Mentais”, Volume III – Obras completas
    • Como detectar estes desvios na escrita
  • HIPERATIVIDADE.
    • Conceituação da hiperatividade
    • Qualificação simplista ou uma característica temperamental?
    • A escrita como manifestação real dos conteúdos consciente e inconscient
  • Escrita TIPOGRÁFICA versus Escrita CURSIVA.
    • Diferenças? Semelhanças?
    • Como detectar traços característicos quando da confrontação desses dois tipos de escrita feitos pela mesma pessoa
    • Os mesmos preceitos grafológicos da escrita cursiva são aplicados à escrita tipográfica
  • Escrita ARTIFICIAL e Escrita DESENHADA.
    • Qual a diferença entre a escrita artificial e a escrita desenhada
    • Identificação do perfil do autor através da análise destes tipos de traçado

> Topo <